28 de jun de 2014

Copa do Mundo - TV Bandeirantes


Parabêns a Rede Bandeirantes pela transmissão da Copa do Mundo 2014 a emissora já tradicional em televisionar eventos esportivos nos anos 80 e 90 agora nos jogos tem a locução do narrador José Silvério com 50 anos de profissão em substituição a Luciano do Valle falecido recentemente além de Téo José, Oliveira Andrade, José Luiz Datena,Nivaldo Prieto, e Ulisses Costa e comentáristas como Neto(ex-jogador),Denilson, Edmundo, Djalminha, Pedrinho, Ronaldo Giovanelli, Bobô e Éder Aleixo;os apresentadores Milton Neves, Renata Fan, Paloma Tocci, Patricia Maldonado, Fernanda Maia e Larissa Erthal

26 de jun de 2014

Entrevista com o Fantástico Jaspion


O final dos anos 80 no Brasil não teriam sido os mesmos sem os heróis japoneses que a Manchete exibiu. E se há um personagem que é símbolo dessa época é o Jaspion. Ele foi o responsável por toda a febre que rolou no Brasil e que abriu as portas para Flashman, Changeman, Jiban e tantos outros.Com suas lutas fantásticas, saltos gigantescos, explosões, motos, naves, inimigos monstruosos, tudo isso junto marcou a memória dos fãs que se lembram até hoje das superaventuras do herói.
E estamos falando tudo isso porque apresentamos com exclusividade a primeira entrevista de Seiki Kurosaki ao Brasil. Ele conta como foi interpretar Jaspion, diz o que está fazendo hoje e revela segredos divertidos sobre a série. Vá em frente e saiba mais sobre o ícone de uma geração.
Você entrou muito jovem para o Japan Action Club (mais famoso grupo de dublês do Japão). O que seus pais disseram sobre isso?
A princípio meus pais foram totalmente contra. Mas acabaram aceitando e permitiram que eu entrasse.
O quê o motivou a entrar no JAC e a ser dublê?
Foi após ver a atuação de Sonny Chiba (ou Shinichi Chiba, um dos mais respeitados dublês japoneses e fundador do JAC). Fiquei impressionado e quis me tornar um dublê também. Sem dizer que eu já era um grande fã da bela Etsuko Shiomi, que fazia muitos filmes de ação.
Você já praticava ou treinava para isso? 
Não, de forma alguma. A única coisa que eu costumava praticar era tênis e mergulho submarino, que é minha verdadeira paixão.
 


Quando foi sua estréia?
Como ator foi na primeira série de Tropa das Sombras (Kage no Gundan I, da Toei). Nessa época atuei sob meu nome verdadeiro, Seiki Kurosaki.
Na década de 80, Jaspion abriu as portas no Brasil para diversas séries japonesas e se tornou um grande sucesso. Você sabia disso?
Bem, já ouvi algo sobre isso através de Kazuyoshi Miura, que é um jogador profissional de futebol. Mas isso foi há uns nove anos. Fiquei muito contente com isso, mas confesso que não acreditei muito, até você me confirmar agora.


Você tem contato com outros atores da série, como Junichi Haruta (Mac Garen) e Hiroshi Watari (Boomerman)?
Pra falar a verdade, não. Eu já não os encontro há muito tempo. Mesmo porque me afastei desse meio (TV e teatro).
Como você foi escolhido para atuar em Jaspion? Algum teste? Esperava por isso? 
Shiomi e eu havíamos atuado juntos no teatro, os produtores da série estiveram lá, gostaram de minha atuação e me chamaram em seguida. 
Quais as dificuldades na filmagem de Jaspion?
Foi difícil, mas muito prazeroso fazer Jaspion durante um ano. Começávamos cedo e terminávamos somente à noite. Líamos o texto para o dia seguinte à noite, ou alguns minutos antes de entrar em cena.
Como foi o assédio dos fãs? A série fez muito sucesso?
A popularidade no Japão foi comum, nada de extraordinário.
Nos primeiros episódios, seu cabelo era bem engraçado. Aquele era seu cabelo de verdade? Por que ele foi cortado?
Sim, era meu cabelo mesmo. Eu queria quebrar a velha imagem do programa de herói para crianças. Tinha a intenção de simbolizar a imagem do Tarzã Galáctico, a princípio. O impacto foi muito bom entre os fãs, mas os produtores decidiram cortá-lo.
Você interpretou o Jaspion nos momentos em que ele usava a armadura?
Não, não tinha tempo para fazer isso e o traje nem servia em mim. Ele tinha um tamanho diferente. Três grandes dublês do JAC fizeram o Jaspion por mim: o Takanori Shibahara, Kazuyoshi Yamada e Noriaki Kaneda.
De que material era feita a armadura de Jaspion?
Não sei lhe dizer em detalhes. Metal, plástico, couro, etc. Eram maravilhosamente feitos combinando os materiais por uma companhia chamada Rainbow. Existiam três tipos de armaduras para Jaspion. Era usado adequadamente de acordo com a tomada e a fotografia de cena. Por exemplo, para os closes era usada uma mais reluzente, para cenas de ação 
uma de material mais flexível etc.


No Brasil, vimos você apenas em Bioman e Jaspion. Você trabalhou em outros seriados de heróis?
Quando ainda era um dublê, apareci no seriado Homem-Aranha (versão japonesa) como um monstro e também em Denjiman e Sun Vulcan (seriados estilo sentai de 80 e 81 respectivamente). Depois fiz uma participação especial em Bioman, onde encontrei minha esposa, Asuka Yuko, que interpretava a vilã Fara.
Como eu ficava bastante tempo em Quioto, acabei participando mais de filmes de samurai, yakuza, enfim, produções mais elaboradas para o público adulto.
Porque você deixou o JAC?
Tinha pensamentos diferentes dos do Sr. Shinichi Chiba sobre o trabalho de dublê e o futuro do JAC. No final dos anos 80, não só o JAC mas também o cinema de ação passou por dificuldades financeiras e perderam muito em popularidade. Chiba pediu-me então que fosse fazer espetáculos num parque de diversões perdido no meio das montanhas de Ninjamura. Recusei porque um de meus amigos, Masato Akata, havia se ferido seriamente porque não havia condições adequadas se segurança. Como era empregado e, como acontece em qualquer empresa, me demitiram por isso.(nota: Masato Akata era o dublê que usava o traje de Black Mask, Yellow Lion e Black Turbo. Informações não confirmadas dão conta que ele teria ficado paralitico, mas Kurosaki não comentou com maiores detalhes.)


O quê você fez depois disso?
Me desliguei completamente do mundo artístico. Trabalhei por um ano vendendo motocicletas e com minhas economias comprei uma pequena "lanchonete" onde vendia takayoki (porções recheadas de polvo) no parque de Ueno. Mas não tinha licença de venda e meu dinheiro era extorquido diariamente ou pelos Yakuzas e a máfia local, ou pelos próprios policiais.
Fui levando até que cansei disso, mas tocar um negócio era algo que havia me agradado. O contato humano e coisas assim. Foi quando abri um bar noturno chamado Corvo, no sul de Tóquio. Infelizmente passei por dificuldades quando, em 1995, o Japão enfrentou uma crise financeira. 
Você trabalha atualmente como mergulhador submarino, é isso mesmo?
Sim. Vivo como instrutor e guia de mergulho submarino, juntamente com minha esposa. É o que gosto e o que sempre quis fazer.
Junichi Haruta era o grande vilão em Jaspion. É verdade que ele não usava dublês nem para as cenas com traje?
Sim, é verdade. Ele é mesmo um grande homem, bem corajoso!
Quanto tempo demorava a filmagem de cada episódio?
Cerca de cinco dias de gravação.
Em que você trabalhou após Jaspion?
Atuei em um filme chamado Setouchi Shonen Yakyudan, Saigo no Rakuen (traduzindo: Pequena Liga de Beisebol de Setouchi, Último Paraíso).
O gênero dos Metal Heroes acabou. O que você acha destas séries e das atuais? Hoje os programas são muito simples se comparados aos das séries dos anos 80, não são?
Sim. A tecnologia progrediu muito. Tais séries davam força. Mas as histórias não mudaram, infelizmente.
Você se machucou nas filmagens de Jaspion?
Sim, os piores foram um ferimento na cabeça e um machucado no ombro, entre outros.
Como era seu relacionamento com os demais atores?
Eu tinha boas relações com todo mundo, mas especialmente com Hiroyuki Sanada, Tsuyoshi Ihara e a jovem geração de dublês do meu tempo.
Aconteciam coisas engraçadas durante as filmagens de Jaspion?
Todo dia. filmar era muito prazeroso porque todos tinham um grande senso de humor e ríamos o tempo todo.
O quê a atriz Kiyomi Tsukada (Anri) faz atualmente?
Ouvi dizer que foi morar nos Estados Unidos.
Você tem filhos? 
Infelizmente não.
Você voltaria ao mundo artístico para fazer séries ou filmes de ação?
Não. Encontrei um novo modo de viver que adoro.




Em um episódio em Jaspion você canta uma música acompanhado de Watari (Boomerman) na bateria. Que música era aquela?
Aquela era uma música original minha.
Como você se sentiu no último episódio de Jaspion, ficou triste com o fim da série?
Sem dúvida. Após a transmissão de Jaspion na televisão me senti bastante triste e sozinho.
O especial de cinema de Jaspion não foi apresentado no Brasil. Qual a história deste filme?
É uma compilação especial das melhores cenas da série, e era acompanhada de uma entrevista com Kiyomi, Junichi e eu.
Você conhece algo sobre o Brasil?
Não conheço muito sobre o Brasil, desculpe. Mas é claro, espero poder ir aí algum dia.
Você já recebeu antes mensagens de fãs de fora do Japão?
Sim. Tenho muitos fãs também na França e Ásia.
E qual a sua mensagem aos fãs brasileiros?
Obrigado pelo apoio a mim e ao Jaspion. Agora estou com 39 anos, vivendo em Okinawa, Japão. Sinto muito prazer em estar junto de meus amigos e de ir ao fundo do mar todos os dias. Se algum dia você tiver a oportunidade de vir para Okinawa, por favor, avise-me. Quando eu for ao Brasil, por favor, deixe-me provar todas as deliciosas comidas brasileiras.
Quais são seus planos para o futuro?
Desejo poder realizar o sonho de algumas pessoas quando estamos no fundo do mar, nadando. Lembre-se: viva sempre para fazer seus sonhos tornarem-se reais.

hehehe eu também sou muito fã de Jaspion
Fonte Entrevista - Revista Herói publicação brasileira edição de 08/06/2001 direto do Japão.
Jaspion - Todos os direitos são reservados a Toei Company (1985-2014) 

Muitas outras coisas aconteceram na vida do ator Seiki Kurosaki depois dessa entrevista porém essa matéria foi destaque na época para os fãs de Jaspion no Brasil.

Links - https://www.youtube.com/watch?v=tz_QQoc-pv0 
             https://www.youtube.com/watch?v=eMStR7xpMw0

Blog Web Reporter News

24 de jun de 2014

Site Dupla Durval e Davi


Umas das duplas mais queridas do Brasil os sertanejos Durval e Davi tem um site exclusivo na Internet o http://durvaledavi.com além do blog no ar a pouco tempo, agora também com o site oficial da dupla lançado recentemente com material inédito videos de sucessos e toda agenda de shows.
O novo empresário Daniel Andrade  assessora a dupla, eles também assinaram contrato com a nova gravadora a Lança Disc de Campinas e já estão lançando o novo sucesso "Mania de Querer" com participação da dupla João Bosco e Vinícius.



Umas das maiores duplas de todos os tempos os ídolos dos ídolos agora também na internet com contéudo exclusivo. 

Links Site Oficial - http://durvaledavi.com/ 
          Blog Oficial -http://dupladurvaledavi.blogspot.com.br/  
            Palco Mp3 -http://palcomp3.com/durvaledavi/ 
                 Twinter -https://twitter.com/DurvaleDavi

 

23 de jun de 2014

Rede Manchete de Televisão


Rede Manchete (também conhecida como TV Manchete ou apenas Manchete) foi uma rede de televisão brasileira fundada na cidade do Rio de Janeiro em 5 de junho de 1983 pelo jornalista e empresário ucraniano naturalizado brasileiro Adolpho Bloch. A emissora permaneceu no ar até ao dia 10 de maio de 1999.
A programação da emissora foi marcada por sucessos e insucessos durante a sua existência. A cobertura do carnaval carioca também teve grande destaque na programação da TV Manchete. A emissora mostrava os preparativos da grande festa popular do país com os programetes Feras do Carnaval e Esquentando os Tamborins, exibidos ao longo da programação. A cobertura do "Carnaval da Manchete" começou em 1984, ano de inauguração do Sambódromo carioca. A emissora de Adolpho Bloch conseguiu exclusividade nas transmissões daquele ano após desistência da Rede Globo, ocorrida por questões de ordem política (desavenças entre Roberto Marinho e Leonel Brizola). No ano seguinte (1985) a Globo voltou a transmitir os desfiles simultaneamente com a Manchete. Em 1988 a Manchete não transmitiu os desfiles por conta de um impasse com os organizadores dos desfiles e em 1999, a falta de recursos a impediu de transmitir o evento.
Outras telenovelas de sucessos produzidos pela Manchete foram Dona Beija (1986), Helena (1987), Corpo Santo (1987), Kananga do Japão (1989), além da sua primeira produção dramaturgia, a minissérie Marquesa de Santos (1984).
Um dos seus mais notáveis sucessos foi a novela Pantanal, exibida em 1990. Vieram outros como A História de Ana Raio e Zé Trovão (1991), Tocaia Grande (1995) e Xica da Silva (1996).
O canal se tornou conhecido também por exibir as diversas séries de tokusatsus e animes, todas de origem do Japão, com grande sucesso, que também foi responsável da introdução das produções japonesas no Brasil, que anos depois, outras emissoras de TVs abertas e assinaturas passaram exibir outros animes.No final dos anos 1980 e boa parte dos anos 1990 eram exibidas as séries Jaspion, Changeman, Jiraiya, Flashman, Jiban, Lion Man, Black Kamen Rider, Maskman, Cybercops, Spielvan, Kamen Rider Black RX, Patrine, Winspector e Solbrain. Graças ao grande sucesso dessas séries é que chegaram os animes Cavaleiros do Zodíaco (episódios e em OVA), Samurai Warriors, Shurato, Yu-Yu-Hakushô, Sailor Moon, Super Campeões e US Mangá.Nos anos 1990 os programas infantis foram: Dudalegria (manhã); A Turma do Arrepio e Clube do Seu Boneco (ambos na tarde) em 1995. Além desses programas, eram exibidos desenhos considerados "clássicos" das décadas de 50, 60, 70 e 80: Calvin e o Coronel, Dartagnan e os Três Mosqueteiros, Don Quixote de la Mancha, Família Drácula, O Pirata do Espaço, Super Tiras, Patrulha Estelar, Superaventuras, Família Tró-ló-ló, Josie e as Gatinhas, Lorde Gato, Marmaduke, A Turma do Abobrinha, Goldie Gold e Manda-Chuva e os sitcoms Seinfield e Friends.
Outro nome famoso, que ganhou projeção na Manchete foi o do radialista Eloy Decarlo conceituado comunicador carioca, se tornou nacionalmente conhecido quando, por todo o tempo de existência da emissora, foi a "voz-padrão" das chamadas da programação do canal e das vinhetas, principalmente nos comerciais.
O jornalismo sempre foi o carro-chefe da emissora. O telejornal Jornal da Manchete, o principal informativo do canal, trazia aprofundamento das notícias e comentários de grandes nomes do jornalismo brasileiro, como Carlos Chagas, Villas-Boas Corrêa, Zevi Ghivelder e Salomão Schvartzman, entre outros e comentaristas como João Saldanha. Também revelou os apresentadores Mylena Ciribelli, Cláudia Cruz e Alexandre Garcia que posteriormente transferiram-se para a Rede Globo.
Nos primeiros anos da emissora, o Jornal da Manchete ficava no ar por três horas, o que nunca ocorreu na história da televisão brasileira, já que os telejornais locais e nacionais da década de 1980 e anteriores, nunca ultrapassaram os 40 minutos de exibição. Sua primeira parte, dedicada ao noticiário cultural, era intitulado Panorama Manchete, apresentado por Íris Lettieri (na época, a voz do aeroporto carioca e do número de telefone que informava a Hora Certa) e Jacyra Lucas. Seguia o Manchete Esportiva, apresentado por Márcio Guedes e Paulo Stein. Ainda tinha o Debate em Manchete, com Arnaldo Niskier. Então vinha o Jornal da Manchete 1ª Edição, apresentado por Carlos Bianchini e Ronaldo Rosas. No final da noite, entrava no ar o Jornal da Manchete 2ª Edição, ancorado por Luiz Santoro, Roberto Maia e Claudia Ribeiro, depois substituída por Leila Richers. A partir de agosto de 1989, o casal de jornalistas Eliakim Araujo e Leila Cordeiro, que estava na Globo, foi contratado e assumiu o comando do Jornal da Manchete, até o final de 1992.


Foto Autor Herbert Trindade Bianchi

A emissora passou a usar certos apelativos como cenas de nudez em novelas como Dona Beija, Pantanal entre outras produções da casa e até espetáculos de strip-tease impróprios para o horário como o da jornalista Íris Lettieri na contagem regressiva para o carnaval e no programa de calouros de Raul Gil em horário vespertino além de programas de striptease com telessexo.
A partir de 1998 surgiu uma crise incontrolável na emissora.Em 4 de janeiro de 1999 Pedro Jack Kapeller, surpreende a todos envolvidos e os que acompanham a crise da Rede Manchete, que assinou no dia anterior o contrato com a produtora Renascer Gospel Comunicação Produções Ltda., pertencente à Fundação Renascer, administrada pela igreja evangélica Renascer em Cristo, tornando-se a parceira da Rede Manchete de Televisão.O acordo não deu certo e houve rompimento no contrato. Salários atrasados, tentativas fracassadas de venda e programas que saíam do ar arranharam a imagem da estação,No dia 9 de maio, depois de várias reuniões, num acordo acompanhado pelo Ministério das Comunicações, é anunciada que a Rede Manchete foi vendida ao grupo TeleTV na madrugada. O Grupo TeleTV comprou a rede por US$ 608 milhões de dólares.
A emissora foi vendida pelo grupo Bloch depois de uma reunião de mais de 12 horas entre o seu presidente, Pedro Jack Kappeller, e o proprietário do grupo TeleTV, Amilcare Dallevo Jr até que no dia 10 de maio de 1999 a emissora mudou de nome (passou a se chamar TV!) e de dono, encerrando a história iniciada em 1983.


Jornalista Elmo Francfort

Em 2008 o Jornalista e Escritor Elmo Francfort lançou o livro " Rede Manchete Aconteceu virou História " da coleção aplauso impresso pela "Imprensa Oficial "onde conta detalhes de bastidores e produção,uma leitura interessante, eu conversei com ele na sede da Pró-TV em São Paulo. 
O livro é sensacional com fotos exclusivas da emissora além do contéudo escrito com grandes revelações da vida de Adolpho Bloch.
No dia 5 de junho do ano passado foi lançado o documentário "Aconteceu Virou Manchete" produzido pelos estudantes de jornalismo da UERJ com direção de Fernando Borges da TV News é contada toda história da emissora até seus momentos finais.
Parabêns a todos os funcionários da Rede Manchete que batalharam e lutaram até o fim para tentar manter as emissoras no ar mesmo sem receber salário.
O Brasil perdeu uma das maiores redes de TV do mundo pois a Rede Manchete marcou a vida dos Brasileiros.

Fonte : Site Wikipédia
Homenagem a Rede Manchete de Televisão (1983-1999)


Links You Tube - https://www.youtube.com/watch?v=THQBD-5XupA                                             https://www.youtube.com/watch?v=zEBM8EUFHFI 
                             https://www.youtube.com/watch?v=3qEL7jLGDZ0 
                             https://www.youtube.com/watch?v=Rh52RCDbQVc 
                             https://www.youtube.com/watch?v=6Bfn_ijIpYU                   
                             https://www.youtube.com/watch?v=uzWhrqdokx0
 
 Documentário Rede Manchete - https://www.youtube.com   /watch?v=M2ylBXhEbfQ